Melomanias e homónimos

   Hoje decidi fazer algo diferente.

   Achei que, sendo que se trata de um blog, algo pessoal, que deveria fazer uma publicação acerca da pessoa com um parafuso a menos que sou. Como? Decidi reunir uma série de situações ou momentos e atribuir, a cada um, uma música, segundo os meus gostos…

(Isto pode correr muito bem ou muito mal…)

Jantar com amigos: Human – The Killers 
Reuniões de família: Show me the way  – Peter Frampton 
Finais de tarde na praia: Sunset – Avalanche City
Uma corrida a seguir a um litro de coca cola (pelo menos até ao wc): Eye of the Tiger – Survivor
Uma manhã de chuva: Quelqu’un ma Dit – Carla Bruni
Uma tarde de manta, chá e um livro: Adeus até mais ver – Homem ao Mar
Uma saída com amigos: Ocean Drive – Duke Dumont
Um concerto com a familia: Born to Run – Bruce Springsteen
Um concerto com os amigos: I will wait – Mumford& Sons
Um jantar a dois: Canção do Engate – Tiago Bettencourt
Um incentivo para as manhãs de segunda: Tears dry on their Own – Amy Winehouse 
Uma noite especial: I’m into You – Chet Faker
Uma viagem de regresso a casa: Fast Car – Tracy Chapman
Momentos de estudo intensivo: Cello Suite No.1 – J.S Bach
Uma banda sonora: Schindler’s List Main Theme (Violin Solo) – John Williams
Aquela dança especial: Wonderful Tonight – Eric Clapton
Karaoke no chuveiro: Livin’On a Prayer – Bon Jovi
Para os dias mais cinzentos: Young& Beautiful – Lana Del Rey
Uma noite debaixo das estrelas: Yellow – Coldplay
Música para cantar no trânsito: Bohemian Rhapsody – Queen
Manhãs de ronha na cama: Me and Mrs.Jones – Michael Bublé
Tardes de domingo: The Girl From Ipanema – Tom Jobim & Frank Sinatra
Quando o aspirador se torna o melhor amigo: Who can it be Now – Man at Work 
Para a pista de dança: Volare – Gipsy Kings
Preparativos para uma saida com amigas: I wanna dance with Somebody – Whitney Houston
O dia de aniversário: Sweet Caroline – Neil Diamond
Para os dias femme fatal: Crazy in Love – Beyoncé 
Para o aconchego da alma: Just the Way You Are – Billy Joel

 

   Porquê uma playlist? Desde sempre que sinto necessidade de associar momentos a músicas, é uma forma de manter vivas certas memórias. Vivo muito à base de memórias e recordações, por isso, as músicas ajudam-me muito a remeter para um determinado momento bom ou mau da vida. Para mim, é para isso que serve a música: para nos podermos identificar, mas, sobretudo, para a podermos recordar da melhor maneira.

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. Nuno Raimundo disse:

    Muito bom, Carolina! Em algumas acertaste mesmo em cheio, acredita (e correu muito bem, pelo menos no meu ponto de vista).

    Deixa-me, igualmente, destacar esta tua última frase: “Para mim, é para isso que serve a música: para nos podermos identificar, mas, sobretudo, para a podermos recordar da melhor maneira.” Ainda acrescentaria mais algumas coisas, mas o essencial é também isso, mesmo.

    Para terminar, partilho contigo uma frase que tenho no meu primeiro post da Música da Semana: “Depois do silêncio, o que mais se aproxima de expressar o inexprimível é a música.”

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s